Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Bússola

A Bússola nunca se engana, aponta sempre para o Norte.

Bússola

A Bússola nunca se engana, aponta sempre para o Norte.

Mário Moniz Barreto

À primeira vista soa um bocado estranho que quatro conglomerados de bebidas gastem um milhão de euros/ano a pregar ao filet mignon  da sua clientela (o pessoal dos 18 aos 30 anos) para não abusarem dos copos. Mas, bem vistas as coisas, até faz sentido.

As campanhas 100% Cool e Beba com Cabeça ocupam 70% do tempo de Mário Moniz Barreto, o secretário geral da Associação Nacional das Empresas de Bebidas Espirituosas (ANEBE), que reúne quatro grupos (PrimeDrinks, Pernod Ricard, Baccardi Martini e Diageo) que controlam cerca de 80% do nosso mercado de uísques, gins, vodkas, etc – simplificando, tudo menos cerveja e vinho.

Licenciado em Direito, Mário fez um mestrado em Londres, no Departamento de Estudos de Guerra do King’s College (convenientemente dirigido por um israelita…), antes de passar um ano em Bruxelas, na DGVIII, que tinha em cima da mesa a Convenção de Lomé.

Regressado a Lisboa, trabalhou numa sociedade de advogados anglo-portuguesa até que, na viragem do milénio, os inevitáveis headhunters o desinquietaram, convidando-o para ser o advogado de defesa dos interesses dos poderosos conglomerados de bebidas que estavam a constituir a ANEBE. Disse que sim, pois desde a adolescência sentia uma grande apetência por fazer política.

Justificou a escolha do Churrasco (onde janta habitualmente com a sua patota de amigos, lista em que figuram os jornalistas António Valdemar e José Manuel dos Santos) em frente ao Coliseu, pelo facto de servir “o melhor frango do Mundo” – o que pode ser verdade.

Sentamo-nos numa mesa ao lado da que durante anos foi ocupada pelo Covões pai, que fazia do Churrasco a sua sala de jantar, onde montava escritório para acertar contas com os artistas.

Como ele fazia 38 anos nesse dia, empurramos o frango com um espumante Aliança bruto tinto, apesar das Caves Aliança, de Joe Berardo, já não serem associadas da ANEBE.

A campanha 100% Cool, desenvolvida em conjunto com a GNR, é a mais vistosa das iniciativas da associação. Estimula os jovens a, sempre que vão para os copos, designarem um condutor 100% Cool, ou seja que mantenha no zero a sua taxa de alcoolemia ao longo de toda a noite.

Os resultados da campanha, que vai na 7ª edição, são positivos. Nos cinco primeiros meses deste ano, 95% dos 215 mil condutores testados pelas brigadas 100% Cool tinham níveis de álcool no sangue inferiores aos 0,5 gramas/litro permitidas.

“As estatísticas registam uma redução recorde da sinistralidade no nosso país, não só em número de acidentes mas também de vítimas. Isso deve-se ao aumento da fiscalização e à rapidez na aplicação das multas. Nós estamos satisfeitos por termos contribuído para esta redução”, afirma.

Ao defender que a idade mínima legal para a compra de bebidas alcoólicas suba dos 16 para os 18 anos, a ANEBE revela uma posição mais fundamentalista que a do Governo, o que tem a ver com a sua mensagem de que não há álcool seguro.

No site www.bebacomcabeça.pt , que em meio ano de vida recebeu meio milhão de visitas, disponibiliza um simulador, que fornece, por exemplo, a equivalência entre o álcool contido num copo de cerveja e numa dose de uísque.

“Para os jovens, a cerveja é mais barata e acessível. Mas é preciso desmistificar o mito urbano de que há bebidas alcoólicas mais seguras do que outras. Um uísque com cola pode ter menos álcool do que uma imperial. Não há bom e mau álcool. Há bons e maus comportamentos”, garante.

Apesar do fenómeno, novo e preocupante, de cada vez mais pais portugueses deixarem sair à noite, sem supervisão, os filhos de 11/12 anos, Mário está satisfeito. “Temos um padrão invejável de consumo de álcool.  Estamos no bom caminho, que é o de evitar o paternalismo e o proibicionismo. Os resultados das Leis Secas foram sempre catastróficos. Não queremos passar para o modelo nórdico”, conclui este consumidor ocasional de álcool, que gosta de vinho, de vez em quando bebe um uísque ou um gin tónico (até mesmo um Bloody Mary!), e acaba de fazer uma descoberta curiosa: vodka de uva.

Jorge Fiel

Esta matéria foi hoje publicada no DN

O Churrasco

Rua Portas de Stº Antão 83, Lisboa

1,5 Frangos no espeto … 15,00 euros

1 Salada especial… 6,50

2 Esparregado … 3,00

2 Batatas fritas … 5,60

1 Aliança bruto … 19,50

2 Águas do Luso … 3,00

2 Cerejas … 5,90

2 Cafés… 1,60

Total … 60,10 euros

31 comentários

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D