Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Bússola

A Bússola nunca se engana, aponta sempre para o Norte.

Bússola

A Bússola nunca se engana, aponta sempre para o Norte.

Adélia Carvalho

Quando chegou à recepção do Bairro Alto Hotel, pouco antes das seis da tarde, a inglesa vinha numa pilha de nervos. Não trazia bagagem e o problema era mesmo esse. A companhia aérea extraviara-lhe a Samsonite com a toilette para a festa dessa noite em Lisboa.

Alertada para o drama, A directora geral assumiu o comando das operações. Acalmou a cliente. Tudo se iria resolver. “It’s impossible”, repetia a inglesa que não acreditava que fosse possível o suave milagre operado nas duas horas seguintes, em que, num corrupio, desfilaram pelo seu quarto vestidos, sapatos, malas, cabeleireira, maquilhadora e manicura. Às 20h30, estava belíssima, pronta para a festa. Para Adélia, “impossible is nothing”.

É por estas e por outras que a Conde Nast Traveler elegeu como o 31º melhor do Mundo este pequeno hotel (55 quartos) muito fotogénico, instalado num edifício pombalino. Uma das outras razões que levou a bíblia do turismo e viagens a inclui-lo na lista exclusiva Best of The Best foi a extraordinária capacidade de Adélia, que acaba de vencer o I Concurso Nacional de Motivação, promovido pelo ISCTE.

“Para mim, trabalhar é um enorme prazer. Amo tudo o que faço. Ou é a sorte que vem ter comigo, ou sou eu que consigo transformar tudo em paixão”, declara Adélia, que começou a carreira como recepcionista no Meridien, após ter acabado o curso da Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa. Transferiu-se depois para a Penha Longa, onde se demorou dez anos e fez de tudo (de directora de alojamento a directora de banquetes), menos cozinha (que é especialidade do marido, subchefe na Bica do Sapato), até aceitar o convite para abrir o Bairro Alto, porque ficou encantada com o projecto e lhe deram carta branca para escolher a equipa.

Almoçamos no fabuloso terraço do hotel, que tem uma vista de cortar a respiração do rio e telhados de Lisboa. Escolheu a salada Caesar, porque anda a ver se perde algum do peso ganho durante a gravidez do Santiago (que tem dois anos e meio), se bem que o objectivo não seja recuperar a forma que tinha quando era atleta de ginástica acrobática do Sporting.

Nativa do signo Virgem, Adélia é uma perfeccionista e “uma vendedora nata”, sendo provável que a queda para as vendas faça parte do património genético, pois os pais tinham uma loja de electrodomésticos em Sacavém. Pensa, fala e decide muito rápido. Está sempre o radar ligado, olhos e ouvidos atentos ao que se passa à sua volta. Irrequieta e eléctrica, dispensa a cafeína. Na hora do café, optou por um “pingo clarinho”. E usou um argumento demolidor para não aceitar que pagássemos a conta: “Ficava logo toda a gente a pensar que o meu orçamento para despesas tinha levado um grande corte”.

“Às vezes basta pormo-nos no lugar das outras pessoas”, responde quando lhe perguntamos a receita para agradar e motivar. E conta um episódio para demonstrar como aprende com os clientes. Durante a campanha eleitoral, um comício nocturno e barulhento no Largo de Camões estava a impedir um cliente de dormir. Ele queixou-se. Ofereceram-lhe um chá e um quarto mais resguardado. No dia a seguir, cheio de olheiras, o cliente comentou que. se lhe tivessem perguntado o que podiam fazer para o ajudar, teria pedido que o mudassem para outro hotel. “Estava cheio de razão. Devíamos ter-lhe feito essa pergunta e arranjado um quarto num hotel onde ele pudesse passar a noite sossegado”, diz.

“Como sou muito sensitiva, consigo estar muito próxima das pessoas. Esforço-me por ouvir, apoiar e orientar. É fundamental ter as pessoas motivadas. Só se estivermos bem é que conseguimos fazer os clientes felizes. Quando há problemas é bom ter um ombro amigo. Sei que, de vez em quando, é preciso compensar as pessoas e dizer-lhes, ‘o que é que andas aqui a fazer?, está sol, vai para praia!’”, afirma.

A gestora mais motivadora do país dirige uma equipa de 65 pessoas, em não há um licenciado sequer. “Não há nenhuma faculdade em que se aprenda a oferecer bem estar”, explica Adélia, que, no entanto, está a encarar seriamente a hipótese de se inscrever no ISPA e fazer Psicologia – para aprender a motivar ainda melhor!

Jorge Fiel

Esta matéria foi publicada hoje no Diário de Notícias

Menu

Terraço do Bairro Alto Hotel

Praça Luís de Camões 2, Lisboa

Salada Caesar (peito de frango grelhado, alface romana, lardons de bacon e molhos caeser) …12,50 euros

Sandwich Garrett (pão ciabatta com presunto pata negra, queijo brie e tomate marinado) … 9,50

Chá gelado de ananás, menta e coco … 4,50

Água de Castello … 2,50

Copo de Planalto … 5,00

Pingo claro … 3,00

Café ... 3,00

O almoço foi oferecido, numa cortesia do Bairro Alto Hotel

45 comentários

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D