Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Bússola

A Bússola nunca se engana, aponta sempre para o Norte.

Bússola

A Bússola nunca se engana, aponta sempre para o Norte.

Cavaco Silva, o Porto e Júlio Resende

São mais de 200 obras (quadros) expostas no edifício da Alfândega do Porto. O mestre Júlio Resende vê pela primeira vez reunido um tão extenso espólio da sua autoria, o que só por si é um acontecimento a merecer destaque e elogios... Quadros muitos deles raramente vistos à luz do dia, propriedade de particulares que no recato das suas casas os vão conservando longe dos olhares públicos - por prazer, por vaidade ou por qualquer outra razão que só eles conhecerão. Portanto, uma visista que valerá a pena fazer, com o tempo e com a calma que a exposição requer.

Uma inauguração a preceito, com o Presidente da República a dar o brilho merecido ao acontecimento e a garantir um mínimo do mediatismo indispensável a estes acontecimentos. O que suscita reflexão é a confissão de desconhecimento que o homem, Cavaco Silva, mostrou perante o artista. A sua surpresa perante a dimensão da obra, a luminosidade da pintura ou o ter-se mostrado sinceramente "impressionado" com a retrospectiva vai muito para lá do relativo afastamento que, como ele, milhões de portugueses têm e até cultivam perante as Belas Artes.

A verdade é que Júlio Resende, um mestre da pintura com uma carreira que vem do início dos anos 40 do século passado, um nome incontornável dos movimentos modernistas do pós-guerra em Portugal, que fundou e participou em movimentos marcantes da história da Arte portuguesa, que é reconhecido como uma dos maiores contemporâneos, etc, é um desconhecido!

Nunca foi elevado ao panteão das estrelas ou ao naipe dos favoritos do mediatismo dos nossos órgãos de comunicação social que dão a impressão de a ele se referirem sempre sem grande entusiasmo a maior parte das vezes por obrigação... Já lemos e vimos jornais, rádios e televisões gastar páginas e horas com artistas com uma dimensão incomparavelmente menor à de Júlio Resende, homenagens prémios de carreira, entrevistas em horários nobres informativos com figuras de cujo nome hoje nem nos lembramos... E Júlio Resende? Notícias, críticas, algumas reportagens e programas televisivos, mas nada de marcante, que seja de referência obrigatória e quase sempre remetido para horários esconsos ou páginas de fim de jornal.

Júlio Resende não militou nos meios mais "progressistas" pós-Revolução de 1974 e, por aqui, não beneficiou das atenções e do tratamento favoráveis que os que dominavam a Cultura e as Artes reservaram para os seus...

Júlio Resende nunca saiu do Porto e, assim, perdeu os favores da capitalidade, a divulgação dos museus "nacionais" e o convívio com os que determinam o que é "in" e o que é "out" , o que sai na comunicação social e o destaque  a que tem direito este ou aquele artista...

Não é que o Porto também o tenha tratado muito bem - o caso da "Ribeira Negra", obra dedicada à cidade e que continua empacotado na Cãmara, é paradigmático... E teve que ser Gondomar, do tão criticado Valentim Loureiro, a acolher o artista e a dar-lhe condições de trabalho de exposição da obra na Fundação de Júlio Resende, sita ali na marginal do Douro a caminho de Entre-os-Rios.

Vamos lá ver a obra do mestre no edifício da Alfândega que vale a pena. O Porto e o Norte têm que se orgulhar dos seus artistas e devem demonstrá-lo!

 

P.S. Eu não sou um especialista ou sequer crítico de Arte. Apenas falo de Resende como uma figura que me parece insuficientemente conhecida dos portugueses.

13 comentários

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D