Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Bússola

A Bússola nunca se engana, aponta sempre para o Norte.

Bússola

A Bússola nunca se engana, aponta sempre para o Norte.

Ana Carvalheira

Já lhe aconteceu manter na Net conversas erótico-pornográficas que, a serem divulgadas, exigiriam uma bolinha vermelha em cima e o/a deixariam embaraçado/a? Pois fica a saber que, para todos os efeitos (incluindo o legal), isso foi sexo, na douta opinião da comunidade científica que investiga o assunto. E escusa de invocar em sua defesa que tudo não passou de uma brincadeira com uma pessoa desconhecida e se resume a umas quantas frases tecladas no computador ou telemóvel. Foi sexo!

“Quando há uma interacção em tempo real, entre duas ou mais pessoas, com o objectivo de obter prazer sexual, isso é sexo”, afirma Ana Carvalheira, 38 anos, psicóloga clínica e sexóloga, que se doutorou em 2005, em Salamanca, com uma tese sobre relações interpessoais e comportamentos sexuais através da Internet.

Ana nem sempre pensou assim. Quando começou o trabalho de campo (uma amostra de 1266 utilizadores de chats) estava convencida que sexo implicava o olhar, o cheiro e o toque. O curso da investigação levou-a a mudar de ideias.

“No cybersexo online não há toque, mas há corpo e um contexto erótico e consensual”, diz Ana, acrescentando que 85% dos protagonistas de relações iniciadas online e a coberto do anonimato vieram a conhecer-se em carne e osso – e uma maioria destes (56%) acabaram por ter relações offline, ou seja na cama, com cheiro, toque e troca de fluidos.

Como em tudo na vida, as relações online têm os seus inconvenientes, mas também um sem número de vantagens que não se esgotam no facto de não se fazer filhos nem se apanharem doenças.

 “A internet permite uma escalada na intimidade, facilitada por se tratar de um relacionamento escrito. Saltam-se etapas no jogo amoroso e de sedução. Dizemos coisas a um estranho que não contaríamos à nossa melhor amiga”, conta Ana, uma nómada nascida no Alentejo (Vendas Novas) onde se demorou até que aos 14 anos foi viver para Coimbra com a mãe advogada. De então para cá, teve casa no Porto, Oeiras e Salamanca, até deitar âncora no Estoril.

Escolheu almoçarmos na Linha, na esplanada do Saisa, onde nos despedimos do Verão com uns robalinhos grelhados, que ela acompanhou com um Super Bock stout, porque ainda está a amamentar o Francisco, que há cinco meses lhe proporcionou a estreia na condição de mãe (aparentemente a cerveja não interfere no leite materno).

A Net é um espaço social que permite o encontro entre as pessoas. Torna mais fácil fazer relações novas, uma moeda cujo reverso é o facto de levar à ruptura de muitas relações pré-existentes. Calcula-se que o Facebook seja responsável por 20% dos divórcios no Reino Unido.

Ana não estudou o ambiente do FB, mas sim o dos chats, onde não é socialmente condenável um anonimato, que ela classifica como libertador, “porque não só exercita a imaginação e a idealização do outro, como permite tirar as máscaras e expressar livremente os desejos sexuais sem medo de uma eventual avaliação negativa, mas também abre a porta a enganos, jogos e mentiras”.

A Net é o paraíso para os tímidos, deficientes (um dos membros da amostra, que Ana entrevistou pessoalmente, é surdo mudo), pessoas com algum estigma social e gente que redige bem. “A escrita é um poderoso instrumento de comunicação erótica. Quem escreve bem tem vantagem no jogo de sedução”, assegura a vice-presidente da Sociedade Portuguesa de Sexologia.

O imediatismo é outro dos aspectos sexy da Net. Para arranjar um parceiro sexual pelo método tradicional (offline) uma mulher combina uma jantar com umas amigas que levam uns amigos, tem de produzir-se, ir ao cabeleireiro, fazer figas para encontrar alguém que lhe agrade no grupo, ir beber copos a um ou mais sítios e, se tudo correr mais ou menos bem, marcar um encontro para o dia seguinte.

“Na Net é tudo muito mais rápido. Não é preciso preparar nada. Pode arranjar-se no imediato um parceiro sexual para esta noite. E, se for com a câmara desligada, nem é preciso produzir-se nem lavar a cara, até pode estar de pijama”, explica Ana.

Fechamos o almoço com dois descafeinados (a máquina do café estava avariada). Não foi um problema. A conversa tinha tido cafeína que chegasse.

Jorge Fiel

Esta matéria foi hoje publicada no Diário de Notícias

 

Menu

Saisa

Estrada Marginal, Santo Amaro de Oeiras

Robalinhos grelhados … 36,80 euros

Super Bock stout… 1,50

Água lisa … 1,50

2 copos branco da casa …3,00

2 descafeinados …1,30

Total:  44,30 euros

 

 

Curiosidades

 

O desejo feminino é o tema do pós doutoramento que Ana está a fazer, com base numa amostra de 3800 mulheres. Uma das conclusões é que o desejo nas mulheres é muito mais flutuante e volátil do que nos homens. A sequência desejo/excitação/orgasmo não se aplica a mulher, onde estes factores se desenvolvem de uma forma mais circular

 

Viver três anos em Salamanca, onde defendeu o doutoramento, permitiu a Ana passar a ser fluente em castelhano. “É um privilégio poder ler Gabriel Garcia Marquez na versão original”, diz

 

O trabalho de investigadora tem-na levado a passar boas temporadas em Vancouver, no Canadá, que considera um das cidades bonitas do mundo (não é a única…) e onde gosta de comer coreano.

 

68 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D