Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Bússola

A Bússola nunca se engana, aponta sempre para o Norte.

Bússola

A Bússola nunca se engana, aponta sempre para o Norte.

O misterioso caso do Nokia E 71 às escuras

Isto é um suponhamos. Numa 6.ª-feira, em Fevereiro de 2009, a Judite Sousa entra na Ensitel do Saldanha Residence e comunica a avaria na luz do ecrã do Nokia E71 que o Fernando Seara lhe comprou, nessa loja, há uma semana.

Sou capaz de jurar que as meninas da loja logo se prontificaram a trocar o telemóvel avariado e educadamente pediram desculpa pelo incómodo, pelo que o misterioso caso do Nokia E71 com o ecrã às escuras ficaria para todo o sempre encerrado.

Na vida real, a história foi diferente. Quem naquela 6.ª-feira entrou na loja Ensitel do Saldanha com o Nokia avariado foi a cara anónima da Maria João Nogueira (aka Jonas), pelo que o caso deu para o torto, com os seus efeitos a prolongarem-se até aos dias de hoje, tal como um mau cheiro que teima em não desaparecer.

O catálogo das desculpas (o problema do software, as lacunas do stock, o risco no ecrã, o risco na bateria, etc.), bem como a via sacra da Jonas, estão disponíveis para consulta (uma vista de olhos vale a pena) no blogue Jonasnuts.

O fundamental é que em Maio de 2009 um centro de arbitragem decidiu a favor da Ensitel e os danos na imagem desta empresa poderiam ter sido controlados se ela não tivesse caído na tentação de adornar a vitória ao, três dias antes do último Natal, accionar judicialmente Jonas, para a obrigar a apagar todos os posts que escrevera sobre o caso Nokia E71.

O céu das redes sociais abateu-se inclemente sobre a Ensitel, que demorou nove dias a perceber não lhe restar outro remédio senão bater em retirada, com o rabo entre as pernas, retirando a acção, reconhecendo publicamente a sua "postura inadequada", pedindo desculpas à cliente que transformou em inimiga e prometendo emendar-se.

Numa 6.ª-feira dia 13, a Ensitel passou três vezes debaixo de escadas, partiu dois espelhos e cruzou- -se com um gato preto, pelo que não pode queixar-se de azar por ter tropeçado numa cliente habituada a fazer valer os seus direitos (à diferença da maioria dos portugueses que se queixam muito mas reclamam pouco), e que, ainda por cima, coordena a comunidade de blogues do Sapo e é mais célebre e influente nas redes sociais do que a batata frita.

Orwell ensinou-nos que somos todos iguais, mas há uns que são mais iguais que outros. O caso Ensitel avisa-nos que nem todos aqueles que são mais iguais são portadores de uma cara famosa, arejada frequentemente nas televisões e revistas. Quantos dos mais de 40 mil empregados da Sonae serão capazes de identificar Margarida, a mulher de Belmiro? Por isso, e para evitar meter o pé na poça, recomenda-se a todos o regresso ao bom e velho princípio de que o cliente tem sempre razão.

Jorge Fiel

Esta crónica foi hoje publicada no Diário de Notícias

14 comentários

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D