Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Bússola

A Bússola nunca se engana, aponta sempre para o Norte.

Bússola

A Bússola nunca se engana, aponta sempre para o Norte.

350 mil - Serralves em Grande

 

 

O Museu de Serralves (Porto) atingiu neste ano de 2007 o número recorde de 350 mil visitantes.

 

É um número "anormal" para o nosso país que tem tão poucos hábitos culturais.

 

Com este elevado número de visitantes Serralves é o segundo museu mais visitado do país logo depois do Museu dos Coches (Lisboa).

 

Refira-se que este número corresponde ao número real de visitantes.

 

Passo a explicar:

 

Estas 350 mil pessoas são as que entraram nos portões do museu. Há, no entanto, outras formas de contabilidade.

Por exemplo em Serralves estão neste momento patentes ao público 6 exposições. É normal que um visitante vá até lá para ver uma ou duas exposições em concreto mas acaba sempre por dar uma "voltinha" nas restantes. Em Serralves este visitante conta como uma pessoa. Há museus, e em Portugal faz-se isso, que o número de visitantes conte por exposição.

 

Ou seja: um cidadão vai a um Museu vê duas, ou três exposições no mesmo  Museu e conta duas ou três vezes. E por aí fora...

 

Por isso não se admirem que apareça alguém a falar em números verdadeiramente astronómicos. O importante, neste caso, é saber como é que as contagens se efectuaram.

 

Para que os números de Serralves sejam possíveis há um grande trabalho duma equipa altamente competente e empenhada.

 

Ao Dr. Gomes de Pinho, Presidente da Fundação, à Drª.Odete Patrício, Secretária Geral, e ao Dr. João Fernandes, Director do Museu, os parabéns por em tão poucos anos e duma forma sustentada terem transformado um sonho num Museu de referência nacional e internacional.

 

O Museu não só tem estado na vanguarda como tem alargado as suas áreas de influência artística mas também territorial.

Hoje em dia há Serralves um pouco por todo o país numa política de descentralização e dinamização da arte Contemporânea. Não podia ser doutra maneira. Os Museus que se fecham estão condenados ao fracasso.

Mas Serralves não pára. Em 2008 vêm aí as Industrias Criativas um forma inovadora para descobrir e dar oportunidades a novos talentos e o grande projecto que é o Pólo 2 de Serralves, em Matosinhos (o nome definitivo ainda não está encontrado).

Sobre este projecto, em fase já muito avançada, e que envolve Serralves, a Câmara de Matosinhos e a Fundação Belmiro de Azevedo, vai haver notícias a muito curto prazo.

Nota de rodapé: Perante a obra de Serralves suou muito a injustiça a gafe de José Sócrates na inauguração do Museu Berardo, onde o Estado "empenhou" couro e cabelo, ao dizer que havia sido suprimida uma lacuna em Portugal. Engano? Desconhecimento? Não sei. Injustiça.

52 comentários

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D