Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Bússola

A Bússola nunca se engana, aponta sempre para o Norte.

Bússola

A Bússola nunca se engana, aponta sempre para o Norte.

A Patanisca e o Mac Burger ou a Liberdade e a Identidade

Os partidos do virtuoso Bloco Central preparam-se para chumbar hoje o Referendo ao Tratado Europeu substituindo-o por uma ardilosa e garantida votação parlamentar.

 

Este equívoco da legitimidade tem alastrado pela vivência e prática democrática, desqualificando aquilo que é verdadeiramente essencial á Democracia – a liberdade individual e o direito de opinião e opção.

 

Tenho sinceramente pavor, repugnância até, pelos ventos que sopram nesta asséptica renovação democrática do terceiro milénio.

 

Avançamos, por um lado, numa intolerável intromissão do Estado democrático nos nossos direitos e liberdades individuais. Em nome de elevados e standardizados valores sociais e culturais, o Estado democrático impõe de forma persecutória um padrão rígido de comportamentos e opções individuais (o tabaco e a cruzada da ASAE são apenas exemplos).

 

Recuamos, por outro lado, naquilo que é essencial à Democracia que é o fomento da participação dos cidadãos em matérias tão essenciais como as da identidade e independência nacionais, provavelmente diminuídas neste Tratado Europeu que os partidos por nós decidirão.

 

Da forma democraticamente mais perversa, diga-se, porque a verdade é que foram eleitos prometendo, nesta especifica matéria, exactamente o oposto do que vão fazer.

 

O sistema político começa perigosamente a desconsiderar os cidadãos ditando de forma paternalista e arrogante os seus comportamentos individuais e negando arbitrária e enganosamente um direito de opção previamente comprometido, por alegada complexidade da matéria (?).

 

Hoje publicou-se também um estudo que coloca Portugal nos 15 Países do Mundo mais globalizados. Neste afã moralizador e inquisitório do Estado para as nossas coisas que contrasta tanto com a atitude provinciana do mesmo Estado para as coisas dos outros, tenho justo receio que o MacBurger arrase de vez com a patanisca, o IKEA acabe com a Picaria e as Festas Populares venham a ser proclamadas (como já vi no Alto Minho) em Espanhol.

 

Enfim, tenho justo receio das irreparáveis percas de liberdade e de identidade da decaída Democracia recentemente engendrada por este “Diácono Remédios” em forma de Estado.

 

A mesma liberdade e identidade que fundamentam esta Bússola, tão firmemente virada a Norte.  

 

António de Souza-Cardoso

 

566 comentários

Comentar post

Pág. 1/7

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D