Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Bússola

A Bússola nunca se engana, aponta sempre para o Norte.

Bússola

A Bússola nunca se engana, aponta sempre para o Norte.

CASA DE FERREIRA

 

 

Ontem ficamos a saber o resultado das directas no PSD com uma pouco surpreendente vitória de Manuela Ferreira Leite.

Talvez mais surpreendente tenha sido a curta margem que, apesar de tudo, a ex- Ministra das Finanças de Durão Barroso teve para com os “Pedros”, seus adversários mais próximos.

Resta saber como é que, a tão pouco tempo do ciclo eleitoral e com esta tão frágil minoria, Manuela vai conseguir aquilo que Luis Filipe Menezes não conseguiu com confortável maioria – unir o partido.

É certo que Ferreira Leite, representando os mais poderosos do partido em tudo o que isso tem de bom e de mau (as pessoas e os interesses, respectivamente) beneficiará porventura de uma melhor opinião e não terá que estar constantemente “barricada” do seu próprio partido, podendo eleger como alvo permanente o Engº José Sócrates.

Para me referir aos que, aparentemente perderam ontem, tem que se dizer que Pedro Passos Coelho, viu coroada de sucesso a sua candidatura apresentando-se já como futura alternativa estratégica e geracional ao grupo de Manuela Ferreira Leite (Rui Rio incluído) no pós-2009. Pedro deu Passos importantes para uma futura liderança e tirou, um excelente Coelho da cartola com o passe de mágica em que se transformou este seu regresso à política. Parabéns, por isso.

Ao contrário, Santana Lopes que uma vez mais fez uma excelente campanha (sendo, por exemplo, o vencedor claro dos debates a que assisti) não teve tempo, nem segundas linhas, para voltar a influenciar o partido que sente ainda como demasiado fresco o insucesso da sua anterior liderança. É, no entanto, um político de raça e de chama que faz falta a este PSD que deixa de poder contar com a sua aguerrida e competitiva liderança parlamentar.

Voltando à vencedora e ao novo PSD. Se, ao contrário de Menezes, Ferreira Leite não teve a maioria das bases do seu lado, à semelhança de Menezes, a nova líder não tem assento no Parlamento, nem bancada parlamentar escolhida por si. Dir-se-ia até, que mesmo aí fica a perder para Menezes porque terá dificuldade em encontrar dentro do Grupo Parlamentar, um líder com a vocação e o brilhantismo de Pedro Santana Lopes.

A outra dificuldade do novo PSD parece estar na enorme proximidade de perfil entre os líderes do dos dois partidos do poder, partidos que há alguns anos tentam, eles próprios, com pouco sucesso, distinguir-se entre si.

De facto este PS de perfil europeu, inventado por Tony Blair que floresceu nos restantes Países do velho continente, não tem nenhuma a matriz ideológica do passado (felizmente), nem nenhum matiz que o afaste da coloração social-democrata que hoje despudoradamente assume. O PSD, por outro lado, com excepção de umas pequenas escaramuças entre o liberal e o social, também não tem feito muito por essa diferenciação.

Veremos assim que caminho de diferenciação encontrarão Sócrates e Ferreira Leite, demasiado parecidos no carácter, no registo e nas intervenções que terão nos próximos tempo.

A novidade e a urgência da diferenciação entre os dois só são decisivas para Manuela Ferreira Leite que terá o enorme desafio de fugir de si própria, voltando a fixar a política no campo do contraditório ideológico, aquele mais estimulante terreno que marca a vida que, felizmente existe, para além dos déficites.

É caso para dizer que esta Ferreira, que ainda por cima foi Dama de Ferro, tem que ter mesmo em sua casa, espeto de pau…

António de Souza-Cardoso

Nota: Resta ainda saber o que fará Santana Lopes que entrou, uma vez mais, em anunciada reflexão. Virá aí novo Partido? O que quer que seja não tardará muito a saber-se. Porque o certo é que a areia dos desertos políticos de Santana cabe num balde de praia de qualquer das crianças que aqui quero também homenagear neste Dia Mundial que lhes é dedicado.

 

 

 

  

 

 

 

123 comentários

Comentar post

Pág. 1/4

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D