Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Bússola

A Bússola nunca se engana, aponta sempre para o Norte.

Bússola

A Bússola nunca se engana, aponta sempre para o Norte.

O dia da prova dos nove

A não ser que me saia o Euromilhões (o que é impossível porque para ganhar é preciso jogar - e eu não jogo), o mais provável é que o rendimento da minha declaração de IRS de 2009 seja inferior à deste ano. A vida e a bolsa são assim. Não estão sempre a subir até ao céu. E é preciso sabermos viver com isso.

Estou a esforçar-me para evitar a quebra nas minhas receitas. Mas quando a Autoeuropa já anda a trabalhar aos soluços, por falta de encomendas, o cenário realista é preparar-me para viver com menos dinheiro.

A economia pode parecer uma coisa complicada, mas assenta em equações simples. Se a receita diminui há que reduzir a despesa. Pelo meio há espaço para uma data de malabarismos financeiros (que costumam dar mau  resultado), mas no final do dia é assim. Ganha-se menos, corta-se nas despesas.

É o que tenho andado a fazer. Vou tirar o passe e usar o carro apenas no  indispensável. Cancelei a assinatura dos canais de cinema, um luxo supérfluo pois passavam-se meses sem ver um filme até ao fim. E estou a negociar um pacote que baixe a minha factura mensal em comunicações.

Adoptei uma atitude inteligente nas compras para a casa. Abasteço-me das “commodities no Lidl, complementando cirurgicamente o cabaz no El Corte Inglês, Froiz ou Pingo Doce. E reduzi as refeições feitas fora de casa.

Os cartões de crédito e débito deixaram de ser obrigatórios na minha carteira.  A dor de gastar existe. Gasta-se menos quando se paga em dinheiro, porque a sensação de perda é mais acentuada.

Reduzi a zero o meu endividamento, não caindo na tentação de renegociar a divida e projectá-la por um prazo mais longo, aliviando o curto prazo, mas comprometendo um futuro cada vez mais incerto.

O meu plano de redução de despesas tem muito mais alíneas mas vou abreviar pois só o trouxe para aqui para dizer que espero que o Orçamento para 2009 esteja impregnado das mesmas preocupações de rigor e austeridade.

Com a economia europeia a entrar em recessão e  as contas dos grandes bancos com pior aspecto que o chapéu de um trolha  não é realista esperar um aumento das receitas. O facto de 2008 ser o primeiro ano da legislatura Sócrates em que a receita fiscal vai crescer abaixo do PIB prova que não se pode tirar sangue das pedras.

Como as receitas vão diminuir, o Governo deve dar o exemplo, atacando a despesa, eliminando as gorduras e gerindo com mais cuidado o nosso dinheiro.

2009 é o ano de todas as eleições, mas não há espaço para aventuras. Manter a dispendiosa RTP1 é tão idiota como eu pagar canais de cinema que não vejo  - a não ser que ela esteja a ser usada um braço armado de propaganda do Governo (e não deveria ser). E quando vemos que há ministérios com apenas um funcionário no quadro de excedentes, verificamos que há muito para fazer no emagrecimento da Função Pública.

A próxima 4ª feira, o dia em que o Orçamento de 2009 será entregue, é o dia da prova dos nove, em que saberemos se somos governados por estadistas, ou por políticos de pacotilha que cedem às tentações eleitoralistas - e por isso não estão à altura dos tempos difíceis que vivemos.

Jorge Fiel

www.lavandaria.blogs,sapo.pt

Esta crónica foi hoje publicada no Diário de Notícias

 

2 comentários

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D