Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Bússola

A Bússola nunca se engana, aponta sempre para o Norte.

Bússola

A Bússola nunca se engana, aponta sempre para o Norte.

Conduzir com os olhos vendados

 

Eu não dava para médico. Não gosto de ver sangue. Fico muito incomodado com a presença da doença e o cheiro da morte. Evito visitar doentes. Fujo de hospitais e enterros. O ideal era que a minha presença só fosse requerida em mais um funeral: o meu, porque a minha falta de comparência inviabilizaria a cerimónia.

Compreendem, por isso, quanto me está a custar passar estes dias antes da passagem do ano. Toda a gente em que tropeço, no mail, shopping ou telemóvel, remata com o desejo de um Bom Ano Novo (nunca sei se cínico, sentido ou apenas maquinal) a mais negra das previsões sobre os tempos que se avizinham.

Sinto-me no meio dos preparativos para um gigantesco funeral. Ligo o televisor e vejo, arrepiado, que os financeiros já se começaram a suicidar. Sintonizo o rádio e estremeço ao ouvir o ministro das Finanças a classificar a “crise” como a mais preocupante desde que vivemos em democracia. Abro o jornal e leio, apavorado, a previsão de que 2009 “vai ser um ano trágico, histórico e com consequências terríveis”, feita pelo presidente da CIP.

Sou um veterano de três recessões (84, 93 e 03). E não sou pessimista ao ponto de olhar para os dois lados antes de atravessar uma rua de sentido único. Mas fui contagiado pelo ambiente de funeral e já me passou pela cabeça formular apenas um desejo na 4ª feira à meia noite: que me seja  permitido hibernar, como os ursos, durante o longo Inverno da crise, e despertar apenas quando já fosse Primavera e tudo de mau estivesse passado.

Depois pensei melhor, e reparei que o desejo de hibernar, como os ursos, é uma versão descafeinada da condenável atitude das avestruzes. Não vou enterrar a cabeça na areia.

O Voltaire aconselhou-nos a não insultar o futuro tentando prevê-lo. Mas todos os economistas e políticos, analistas e polítólogos são unânimes em considerar que 2009 vai ser tenebroso. Se calhar, usaram todos a mesma bola de cristal.

Para me animar, repito o meu novo mantra – “o futuro já não é o que era” -  e recordo que, apesar da sua imensa sabedoria e visão estratégica, nenhum destes gurus conseguiu descortinar a chegada desta crise que nos está a consumir. Também me iniciei nas artes da adivinhação e tentandoler o futuro nas folhas do chá Montagne de Jade, da Mariage Fréres, que me deram no Natal.

Li na folhas deste estupendo chá verde  que Sócrates vai tentar empurrar com a barriga (que já se começa a notar desde que deixou de fumar) as consequências gravosas da crise, pelo menos até Outubro.

E apesar de saber que puxar é melhor do que empurrar, fiquei um pouco mais aliviado, pois as costas folgam enquanto o pau vai e vêm.

Mas o que me reconfortou mesmo, foi recordar a minha frase preferida sobre previsões, cunhada por José Ferreira Machado, um economista da Nova de Lisboa: “Fazer previsões é como conduzir um carro com os olhos vendados e a seguir as instruções de quem está a olhar para a estrada pelo vidro de trás”.

Como a unanimidade nem sempre é consensual, desejo a todos um 2009 fabuloso!

Jorge Fiel

www.lavandaria.blogs.sapo.pt

Esta crónica foi hoje publicada no Diário de Notícias

 

32 comentários

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D