Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Bússola

A Bússola nunca se engana, aponta sempre para o Norte.

Bússola

A Bússola nunca se engana, aponta sempre para o Norte.

Homer, o dr Pangloss e as privatizações

 

Há um episódio dos Simpsons em que Homer dá dois preciosos conselhos ao seu filho Bart; que nunca de se canse de repetir a frase “Boa ideia chefe!” e de responder  “Mas quando eu cá cheguei isto já era assim”, sempre que questionado sobre a sua responsabilidade em algo que correu mal.

O abuso de graxa aos chefes e a recusa absoluta em assumir a culpa por um erro cometido têm sido o cimento de muitas carreiras de betão nas empresas e nos partidos, apesar de, já uns bons 250 anos, o bom do dr Pangloss nos ter provado, usando a metafísico-teológico-cosmonologia, que não há efeito sem causa.

Apenas discordo do mestre de Cândido, inventado pelo genial Voltaire, quando ele sustenta que as coisas não poderiam ser diferentes do que foram. A maneira como as privatizações foram geridas em Portugal desmente o optimismo do dr. Pangloss.

Se não tivesse entregue o BPA ao BCP, decapitando o Norte da sua cabeça financeira, o Estado português ter-se-ia poupado a maçada de assistir impotente à disputa por três grupos brasileiros do controlo na nossa multinacional cimenteira. Para premiar, com dinheiro que não era dele, o genro que mais netos lhe deu e uma família que professa a mesma obediência religiosa, Jardim Gonçalves montou uma operação, abençoada pelo Estado, que permitiu à Teixeira Duarte controlar a Cimpor sem ter músculo financeiro para tamanha cavalgada.

Pior ainda. Para entregar a Cimpor ao BCP/Teixeira Duarte, o Governo prejudicou o candidato à compra que mais credenciais tinha (Pedro Queirós Pereira) e, para o compensar, num trágico efeito dominó, vendeu-lhe a Portucel, penalizando a Sonae, grupo nascido e desenvolvido na fileira florestal e um dos lideres mundiais nos aglomerados de madeira.

Como Belmiro nunca disse ámen com um Governo, o primeiro ministro benzeu todas as manobras, feitas por debaixo da mesa, para frustrar a OPA sobre a PT que a Sonae lançou em campo aberto e by the book. Sócrates cuspiu para o ar e agora o cuspo cai-lhe em cima.

Os nossos cimentos passarem para mãos brasileiras é o efeito 2010 que tem como causa a catastrófica política de privatizações, de Cavaco a Sócrates, passando por Guterres e Durão, todos eles enormes especialistas na organização de derrotas.

Em 2011, quando os distraídos do costume estiveram a carpir a passagem da Galp para mãos angolanas (ou brasileiras), estarei aqui de novo a lembrar que o dr Pangloss se esqueceu de que o problema das causas e efeitos é que os efeitos também são causas -  e que não podemos deixar impunes os governantes que seguem a doutrina de irresponsabilidade que o pai Homer pregou ao seu filho Bart.

Jorge Fiel

Esta crónica foi hoje publicada no Diário de Notícias

5 comentários

  • Sem imagem de perfil

    bimbo 11.03.2010

    Já há muito combalido
    É de papel este dragão
    Em Londres foi abatido
    Com cinco tiros de canhão.
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 12.03.2010

    em londres foi abatido
    pelo verdadeiro galáctico Arsenal
    No Dragão Entretanto não passou
    De um simples pardal

    Agora olhando para as Galinhas
    que pensavam ser um clube a sério
    Aperceberam-se no seu galinheiro que:
    Sem a ajuda da APAF
    a liderança na liga fica desfeita de mistério

    São muitas as promessas
    do Traficante orelhudo e do Jasus
    mas adivilha-se em Marselha
    O verdadeiro sofrimento na Cruz

    Ganhar aos fracos é fácil
    ainda mais com arbritos astutos
    Agora e sempre todo Portugal sabe
    Que não passais de uns Corruptos


    OBRIGADO MARSELHA, AINDA ME VAIS DAR MUITAS ALEGRIAS....

    CARREGA EL COMANDANTE...
  • Sem imagem de perfil

    Carago 12.03.2010

    C`um carago! Essa trêta do anónimo do dia 12 às 00:16 era para serem umas quadras?

    Aquilo é uma vergonha de uma cagada! Coisa de analfa!!!
  • Sem imagem de perfil

    Benenoso 12.03.2010

    Também concordo que esse anónimo não escreve a ponta de um corno. O cavalheiro com o nick «bimbo» (que bimbo é que ele não é) compõe umas quadras bem construidas, e com sentido. O outro quiz imitar e saiu tralha.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Arquivo

    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2012
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2011
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2010
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2009
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2008
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2007
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    Em destaque no SAPO Blogs
    pub